Destaque

Mineração no Norte do Brasil: conheça as empresas que atuam na região

Mineração no Norte do Brasil

A mineração no Norte do Brasil é uma das principais fontes de riqueza do país. O estado do Pará, por exemplo, destaca-se no setor, sendo o segundo maior produtor de minério do Brasil, atrás apenas de Minas Gerais.

Portanto, essa área tem uma representatividade significativa dos investimentos totais e é responsável pela geração de muitos empregos diretos e indiretos. Afinal, envolve tanto os trabalhadores como as empresas fornecedoras de correias transportadoras e muito mais.

Sendo assim, as principais cidades com projetos de mineração são:

 

  • Parauapebas;
  • Canaã dos Carajás;
  • Marabá;
  • Curionópolis;
  • Oriximiná;
  • Paragominas;
  • Terra Santa;
  • Juruti;
  • Ipixuna dos Carajás;
  • Itaituba.

 

Além de contribuir para a arrecadação financeira das esferas públicas, a mineração impulsiona o comércio local e promove melhorias na infraestrutura das cidades onde esses projetos são implantados, incluindo a implantação de saneamento básico.

Por isso, é importante destacar também que o setor mineral é um dos principais responsáveis pelo aumento das receitas dos estados e dos municípios mineradores, uma vez que exporta uma grande quantidade de bens para fora do estado.

Os recursos minerais do Norte do Brasil

Os-recursos-minerais-do-Norte-do-Brasil

A exploração da mineração no Norte do Brasil tem crescido em ritmo acelerado, especialmente nos estados do Pará, Amapá, Amazonas, Rondônia e Tocantins, os quais apresentam uma grande variedade de substâncias minerais.

Na região, é possível encontrar minas de metais como ouro, prata, minério de ferro, bauxita, cobre, manganês, cromo, estanho, nióbio e tântalo, além de zircônio.

Além disso, há também as minas de substâncias minerais industriais, como o caulim, calcário, gipsita, potássio e rochas fosfáticas.

Por outro lado, os agregados minerais utilizados na construção civil se distribuem por todos os estados, com maior concentração de atividades nos grandes centros urbanos.

Serra dos Carajás

Em 1967, durante um pouso de emergência de um helicóptero a serviço de uma empresa mineradora dos Estados Unidos em uma clareira na região, foi descoberta a maior província mineralógica do mundo, Carajás.

A partir dessa descoberta, iniciaram-se as pesquisas minerais na região, que se tornou a maior produtora de minério de ferro de alta qualidade do mundo.

Isso porque a qualidade do minério de Carajás, que permite a blendagem com outros minérios mais pobres e a redução da emissão de poluentes na indústria siderúrgica, fez com que ele ganhasse importância no mercado mundial.

Portanto, essa descoberta mudou a história do Brasil, colocando-o no mapa da mineração global.

Oriximiná

A bauxita é um recurso mineral de grande importância na indústria mundial de alumínio, sendo a principal fonte natural desse metal.

O Brasil ocupa a terceira posição na produção mundial de bauxita, com uma extração de cerca de 17,4 milhões de toneladas, concentrada na região da Serra do Oriximiná, no Pará. 

Contudo, o processo de transformação da bauxita em alumínio é bastante dispendioso e prejudicial ao meio ambiente. Por essa razão, é crucial que haja um esforço para a reciclagem de latas de alumínio.

Além disso, o alumínio é uma matéria-prima altamente importante para a produção da maioria dos eletrodomésticos, materiais elétricos, entre outros.

Subterrâneas e a céu aberto: Conheça os tipos de minas

Existem diversos métodos de lavra (extração de minérios) que podem ser aplicados nas minas. Mas é comum que mais de um método de lavra seja empregado em uma única área de mineração.

Sendo assim, os principais métodos de lavra utilizados são: a céu aberto e subterrânea.

Portanto, o método escolhido para a extração do minério depende de vários fatores, como o tipo de depósito mineral, a profundidade da jazida, a disponibilidade de recursos financeiros e tecnológicos, dentre outros.

Então, confira as principais diferenças entre os dois principais métodos de lavra!

A céu aberto

A extração mineral a céu aberto ocorre quando depósitos de rochas ou minerais são encontrados em profundidades relativamente rasas em relação à superfície.

Portanto, nesse método extrativo, não é necessário perfurar túneis, que são características da mineração subterrânea.

Sendo assim, costuma-se explorar esses recursos minerais até o esgotamento ou até que o volume de extração não seja mais lucrativo ou possível.

Então, veja quais são os principais métodos de extração mineral a céu aberto:

 

  • Lavra por bancadas: usado em camadas horizontais próximas à superfície, com as bancadas desenvolvidas de cima para baixo até atingir os limites finais dos corpos mineralizados mais profundos. Para isso, remove-se o material estéril e posiciona-o em uma pilha próxima ao local de extração do minério ou na própria cava, o que facilita a recuperação ambiental da área. Esse método é principalmente utilizado em depósitos de minérios metálicos;
 
  • Lavra em tiras: mais utilizado em depósitos tabulares ou com camadas horizontais finas. Esse método permite uma grande escala de produção e pode ser mais barato e produtivo do que a lavra por bancadas em determinadas circunstâncias. Além disso, gera menos impacto ambiental, já que deposita-se quantidades menores de material estéril na superfície. Esse método é frequentemente utilizado na extração de bauxita, fosfato e carvão;
 
  • Lavra de pedreiras: utilizado para a produção de rochas ou minerais usados diretamente na construção civil, como pedras para revestimento e brita. Costumam ser menos profundas do que outros tipos de extração mineral. Isso porque o material estéril que se origina da movimentação de terra requer um tratamento específico para evitar a contaminação da água e do solo.

Subterrânea

A mineração subterrânea é um método de extração de minérios encontrado em depósitos mais profundos, em rochas duras ou brandas bem consolidadas. Então, para iniciar o processo de extração, deve-se delimitar o minério por meio de sondas de topografia.

Contudo, na lavra subterrânea, é essencial delimitar muito bem o corpo mineralizado e definir bem suas características por meio de galerias e sondagens. Geralmente, realiza-se o acesso por meio de túneis, rampas ou poços.

Além disso, é possível realizar o transporte do minério até a superfície por gaiolas ou skips, enquanto correias são mais econômicas em minas de pequena profundidade.

Por fim, em profundidades de até 600m, também é possível utilizar caminhões para o transporte do minério.

Quais mineradoras existem no Pará?

No estado do Pará, a maior mineradora do Brasil investe fortemente na mineração de minério de ferro, com unidades de produção em Serra Norte, Serra Leste e Serra Sul.

Além disso, a organização também é responsável pela extração de cobre e níquel em minas como Sossego, Salobo e Onça Puma.

A empresa também possui uma política de preservação ambiental e tem ajudado na conservação da biodiversidade da Floresta Nacional de Carajás, cuja área de concessão totaliza cerca de 411 mil hectares.

Transportadores de Correias: Presentes na cadeia mineradora do Norte do país

Mineracao-no-norte-do-Brasil-2

O sistema transportador de correia é essencial para muitas empresas em todo o mundo, uma vez que é responsável pelo transporte de materiais em alta escala, independentemente da distância percorrida.

Basicamente, trata-se de um sistema formado por uma correia transportadora, montada em uma estrutura de suporte e acionada por motores elétricos, que é capaz de transportar uma grande variedade de materiais.

Por ser um equipamento versátil e confiável, os transportadores de correia são uma solução econômica para muitos projetos, já que oferecem baixos custos de operação e manutenção. 

Além disso, eles são projetados para garantir um alto desempenho, minimizando os tempos de inatividade e maximizando a produtividade.

S11D

Localizado em Canaã dos Carajás, Pará, o S11D é o maior complexo minerador do Brasil, criado pela principal mineradora do país. O complexo inclui mina, usina, logística ferroviária e portuária, trazendo um grande impulso ao desenvolvimento econômico e social na região. 

Então, a tecnologia avançada foi empregada em todas as etapas do projeto, incluindo o transporte, que é totalmente operado remotamente, garantindo a eficiência e a redução de custos ambientais.

Sendo assim, com um sistema de recirculação implantado na obra, cerca de 80% da água utilizada no complexo e no ramal ferroviário pode ser reaproveitada, gerando uma economia significativa de recursos hídricos e beneficiando o meio ambiente e a população local. 

Também vale ressaltar que a Correias Mercúrio é uma das principais fornecedoras de correias transportadoras para o S11D.

Componentes de um sistema transportador

Ao projetar um sistema transportador, é importante levar em consideração todos os componentes necessários para o seu bom funcionamento.

Além da correia transportadora, existem outros itens igualmente importantes que merecem atenção, tais como: 

 

  • Tambores; 
  • Acionamento;
  • Roletes de impacto e carga;
  • Motor;
  • Contrapeso;
  • Alinhadores;
  • Limpadores;
  • Chute de carregamento;
  • Guias laterais.
 

Esses componentes trabalham em conjunto para garantir um transporte eficiente e seguro de materiais sólidos a granel, desde a alimentação até o descarregamento.

Por isso, o projeto é capaz de suportar as condições mais rigorosas de operação, proporcionando confiabilidade, durabilidade e desempenho superior.

Importância do sistema transportador para a mineração no Norte do Brasil

Os Transportadores de Correias têm uma ampla aplicação em diferentes indústrias, incluindo a mineração, onde são essenciais para transportar materiais a granel, como pedras, minérios e carvão.

Eles são cruciais para garantir a eficiência no transporte desses materiais em grandes volumes e distâncias, desde a extração até os locais de processamento e armazenamento. Isso leva a uma maior produtividade e redução de custos para as operações de mineração. 

Além disso, os TCLDs contribuem significativamente para a preservação ambiental, pois permitem o transporte de materiais sem a necessidade de muitos veículos, reduzindo a emissão de gases poluentes e o ruído gerado pelo tráfego de caminhões.

Em síntese, os Transportadores de Correias são peças fundamentais para o sucesso de qualquer empresa de mineração, aumentando a eficiência, reduzindo custos e garantindo a segurança do trabalho.

Estamos presentes no importante mercado da mineração

A região Norte do Brasil se destaca como uma importante área de mineração, atraindo grandes empresas mineradoras que investem em sua exploração.

Afinal, há anos, essa área é reconhecida por sua riqueza mineral, tendo sido responsável pela ocupação do território nacional e por contribuir com o equilíbrio econômico do país.

Atualmente, o setor é um dos principais impulsionadores do desenvolvimento local, especialmente no Pará, onde ficam as duas maiores jazidas da região: a de Oriximiná, que extrai bauxita para exportação, e a de Serra dos Carajás, uma das maiores do mundo.

Por isso, nós nos orgulhamos de ser um dos principais fornecedores de correias transportadoras para a região, contribuindo para o crescimento cada vez mais acelerado da economia local, com qualidade, eficiência inovação e garantia operacional.

Se deseja contar com quem entende do seu negócio, fale agora com um dos nossos especialistas e garanta o mesmo nível de qualidade para a sua empresa.

E para conferir as melhores soluções para otimizar as suas operações, acompanhe o Blog da Correias Mercúrio!