Destaque | Serviços

Vulcanização de Correias Transportadoras

Vulcanização de Correias

A vulcanização de correias transportadoras é um procedimento técnico fundamental para assegurar a durabilidade e eficiência dos sistemas de transporte em diversos setores industriais.

Este processo envolve a aplicação de calor, pressão e agentes vulcanizantes para unir duas extremidades de uma correia transportadora ou reparar danos, proporcionando uma emenda resistente e confiável.

Neste artigo, detalharemos o processo de vulcanização de correias transportadoras, seus benefícios, metodologias aplicáveis e o papel dos especialistas no campo.

Este conhecimento é vital para empresas que buscam maximizar a performance e a confiabilidade de seus sistemas de transporte, fundamentais para a produtividade e sucesso no mercado competitivo atual.

Conceito: O que é vulcanização?

Vulcanização de Correias Transportadoras

Essencial para as indústrias em que as correias transportadoras estão inseridas, a vulcanização consiste na unção de duas extremidades desses equipamentos, sendo não só um processo corretivo, mas fundamental para o funcionamento normal das operações. 

A técnica envolve a aplicação de calor e pressão na presença de agentes vulcanizantes, que modificam as propriedades físicas do material da correia, tornando-a mais resistente e elástica. Com isso, é possível assegurar a integridade e a durabilidade do sistema de transporte.

Embora existam diferentes métodos de emenda para correias transportadoras, a vulcanização é reconhecida por produzir as junções mais fortes e confiáveis, essenciais para aplicações que demandam alta performance e segurança.

As vantagens da vulcanização de correias transportadoras

A vulcanização de correias transportadoras é uma técnica padrão e essencial, fundamental para garantir a eficiência e a durabilidade dos sistemas de transporte, além de oferecer múltiplas vantagens que são cruciais para o sucesso dos sistemas de transporte em setores industriais. Conheça os benefícios principais:

Durabilidade Aprimorada

A vulcanização aumenta significativamente a vida útil da correia transportadora ao criar emendas quase tão fortes quanto o material original. Isso resulta em menos paradas para manutenção e substituições.

Resistência Superior

As emendas vulcanizadas são notavelmente resistentes a desgastes, rasgos e impactos, assegurando que a correia mantenha sua integridade sob condições de operação adversas.

Flexibilidade Operacional

Correias vulcanizadas mantêm flexibilidade, o que é vital para o funcionamento eficiente em sistemas de transporte com curvas ou inclinações.

Redução de Custos

Embora o processo de vulcanização exija um investimento inicial em equipamentos e treinamento de pessoal, a longa vida útil e a redução na necessidade de manutenção frequente traduzem-se em economias significativas a longo prazo.

Melhoria na Eficiência do Transporte

A uniformidade das emendas vulcanizadas garante uma superfície de transporte lisa, minimizando o potencial de danos aos materiais transportados e melhorando a eficiência do transporte.

Segurança Operacional

A integridade das emendas vulcanizadas contribui para a segurança geral dos sistemas de transporte, reduzindo o risco de acidentes decorrentes de falhas na correia.

Tipos de emendas de correias

Vulcanização de Correias Transportadoras

As emendas de correias transportadoras são fundamentais para a continuidade e eficiência dos sistemas de transporte, podendo ser realizadas de três formas principais: mecânicas, a quente e a frio.

Cada método é escolhido com base nas especificidades operacionais e necessidades do sistema, garantindo a máxima aderência, durabilidade e segurança.

A seleção correta do tipo de emenda e a execução precisa são cruciais para otimizar o desempenho e prolongar a vida útil das correias transportadoras em variados ambientes industriais. Conheça os métodos utilizados:

Emenda Vulcanizada a Quente

Realizada por meio de uma prensa vulcanizadora, esta técnica utiliza calor para fundir as partes separadas da correia, criando uma junção forte e durável. O processo inicia com o cálculo do comprimento da emenda, que é essencial para garantir a eficácia da união.

A emenda é feita em ângulo para diminuir os efeitos da flexão da correia sobre os tambores e facilitar a passagem pelos raspadores.

Emenda colada a frio

Este método envolve unir as partes da correia utilizando produtos químicos, como adesivo e catalisador, e requer ferramentas especiais para aplicação, como rolete de pressão, torquês, régua metálica, esquadro, entre outros.

A emenda colada a frio é valorizada por sua capacidade de reduzir significativamente o tempo de interrupção dos equipamentos, minimizando custos e prejuízos financeiros.

Emenda Mecânica

A emenda mecânica faz uso de grampos ou fixadores de aço, carbono ou aço inoxidável para unir as pontas da correia. Este método é eficaz em ambientes úmidos, muito sujos ou em situações de emergência, devido à sua rapidez de aplicação e à solidez da junção mecânica.

Cada tipo de emenda tem suas particularidades e é escolhido com base nas condições operacionais específicas, visando otimizar o desempenho e a durabilidade das correias transportadoras. A seleção criteriosa do método de emenda é fundamental para manter a eficiência dos sistemas de transporte e evitar paradas não programadas.

Passos para vulcanização de uma correia

Vulcanização de Correias Transportadoras

Para realizar uma emenda vulcanizada a quente em correias transportadoras, o processo envolve etapas precisas e cuidadosas para garantir a durabilidade e a eficácia da correia após a emenda. Aqui está uma expansão detalhada dos passos mencionados:

Ferramentas necessárias

  • Giz e barbante
  • Régua metálica milimetrada (avaliar conforme largura da correia)
  • Pedra rebolo (grana 24, Ø 4”)
  • EPI´s (óculos, luvas de fios metálicos, protetor auricular, capacete, etc)
  • Esquadro metálico (aproximadamente 15”)
  • Trena (mínimo 3m)
  • Pincel ou trincha de 1.1/2” ou 2” para aplicação do adesivo
  • Torquês
  • Faca para borracha
  • Faca para lona
  • Lápis ou esferográfica
  • Sargento
  • Escova de pelo
  • Lixadeira Angular 7” (6000 rpm, disco de lixa grana 100, Ø 7”)
  • Esmeril de cabo flexível para escova de aço (750W, 4800rpm)
  • Escova de aço (Ø de 4”)
  • Vazador pontiagudo (sovela)
  • Chave de fenda com cantos arredondados
  • Rodilhos para roletar a emenda (1/2” e 2” de largura)
  • Prensa
  • Solvente
  • Papel siliconado
  • Calços laterais (1mm abaixo da espessura da correia)

Preparação

  1. Calcular o comprimento da emenda.
  2. Preparar as extremidades e lixar uma faixa adjacente ao chanfro de 25 mm de largura, onde será colocada a borracha de cobertura.
  3. Limpar as lonas na área escalonada, tomando cuidado para evitar rompimento das fibras e removendo qualquer resíduo de lixamento e gordura da superfície.

Aplicação

  1. Aplicar sobre as lonas das duas extremidades uma demão do composto M-1227 e deixar secar por cerca de 30 minutos.
  2. Misturar o composto M-1217A com o adesivo cimento na proporção de 1:10. Aplicar a mistura nas lonas e chanfros das duas extremidades e aguardar o secamento até formação do “tack”.

Observação: Aplicar o composto M-1227A somente sobre as lonas, não sobre a borracha.

Execução

  1. Aplicar uma camada de Borracha de Ligação sobre a superfície dos passos, exceto no Passo de Acabamento.
  2. Roletear a borracha de ligação sobre as lonas para garantir a aderência.
  3. Remover completamente o papel protetor da Borracha de Ligação.
  4. Limpar e ativar a superfície da camada de ligação com um solvente apropriado.
  5. Utilizar uma sovela para fazer pequenos furos na borracha de ligação e evitar bolhas.
  6. Unir as duas extremidades, assegurando o alinhamento e o encaixe correto.

Cura

  1. Se necessário, aplicar uma demão do composto M-1227A sobre as lonas do passo e deixar secar por 30 minutos.
  2. Pintar as lonas do passo de acabamento e os chanfros, incluindo a faixa de 25 mm lixada, com a mistura do adesivo cimento e do composto M-1227A até o “tack”.
  3. Aplicar a borracha de ligação sobre as lonas do Passo de Acabamento.
  4. Roletear sobre o papel protetor, retirá-lo, limpar com solvente e furar com a sovela.
  5. Aplicar a borracha de cobertura na região de acabamento para preencher o espaço e formar a tira de acabamento.

Vulcanização

O processo de vulcanização envolve aquecer as extremidades da correia na prensa vulcanizadora a temperaturas elevadas, acima de 100°C, para fundi-las e formar a emenda de maneira permanente.

Resfriamento e cura

Após o aquecimento, a correia é resfriada gradualmente para permitir que os materiais de emenda curem e se solidifiquem, garantindo uma conexão forte e estável.

Testes e inspeção

Por fim, é importante realizar testes para garantir a qualidade da emenda e inspecionar o trabalho realizado para assegurar que atenda aos padrões de segurança e durabilidade.

Profissional: O papel do vulcanizador

Vulcanização de Correias Transportadoras

Para que todo esse processo seja efetivo, o profissional especialista é a peça fundamental. Um vulcanizador de correias transportadoras desempenha um papel crítico na manutenção e eficiência operacional dos sistemas de transporte que são vitais em diversos setores industriais, incluindo mineração, siderurgia, agronegócio, fertilizantes, papel e celulose, e muitos outros.

Suas funções e importância incluem:

Inspeção e manutenção

O vulcanizador é responsável por inspecionar as correias transportadoras, identificar danos ou desgastes e realizar a manutenção necessária para garantir o bom funcionamento do sistema.

Emendas de correias

Uma das principais funções do vulcanizador é realizar emendas em correias transportadoras danificadas. Isso envolve unir as extremidades da correia de forma segura e durável, garantindo a continuidade do transporte de materiais.

Reparos e revestimentos

Além das emendas, o vulcanizador também executa serviços de reparos e revestimentos nas correias, contribuindo para prolongar sua vida útil e evitar falhas operacionais.

Vulcanização

O vulcanizador é especializado em realizar o processo de vulcanização, seja a quente ou a frio, para unir as partes danificadas das correias com pressão e calor, garantindo uma conexão sólida e duradoura.

Segurança e qualidade

Ao desempenhar suas funções com precisão, o vulcanizador contribui para a segurança operacional das instalações, evitando acidentes relacionados às correias transportadoras, e assegura a qualidade do transporte de materiais.

Em resumo, o vulcanizador de correias transportadoras é indispensável para a manutenção da continuidade operacional e eficiência em indústrias que dependem de sistemas de transporte contínuo. Sua capacidade de realizar emendas duráveis e de alta qualidade reduz o tempo de inatividade, minimiza os custos operacionais e manutenção, e contribui para a segurança e longevidade do sistema de transporte. 

Problemas mais comuns em emendas vulcanizadas

Vulcanização de Correias Transportadoras

Mesmo com os avanços tecnológicos e as práticas rigorosas adotadas, problemas podem surgir, comprometendo a integridade e o desempenho das correias. Aqui, exploramos os problemas mais comuns associados às emendas vulcanizadas, suas causas e impactos.

Ruptura da correia durante o funcionamento

A ruptura da correia durante a operação é um dos contratempos mais graves, podendo levar à paralisação completa da linha de produção. Esse problema não apenas interrompe o fluxo de trabalho mas também acarreta custos significativos com reparos ou substituições e potenciais danos a outros componentes do sistema de transporte. A causa pode variar desde a aplicação inadequada da técnica de vulcanização até o envelhecimento natural da correia ou a exposição a condições operacionais extremas.

Sobreposição de degrau na emenda

A execução inadequada da sobreposição dos degraus na emenda pode enfraquecer significativamente a estrutura da correia, levando a falhas prematuras. Essa falha na emenda compromete a distribuição uniforme de tensões ao longo da correia, podendo resultar em rupturas sob cargas operacionais normais. A atenção aos detalhes durante o processo de emenda é essencial para evitar esse problema.

Preparação inadequada

A preparação inadequada das superfícies das correias a serem emendadas pode levar a uma adesão insuficiente. Isso inclui a limpeza inadequada, a não remoção de camadas oxidadas ou a aplicação incorreta de soluções de limpeza ou primários. A superfície deve estar limpa, seca e devidamente texturizada para garantir uma boa adesão.

Controle de temperatura e pressão insuficientes durante a vulcanização

A vulcanização requer condições específicas de temperatura e pressão para ser bem-sucedida. A aplicação insuficiente ou excessiva de qualquer uma delas pode resultar em vulcanização incompleta ou danificação dos materiais, comprometendo a integridade da emenda. A uniformidade dessas condições ao longo de toda a área de emenda é crucial.

Conheça os problemas mais frequentes

Seu braço direito para para atividades de vulcanização em correias transportadoras

Vulcanização de Correias Transportadoras

Nós valorizamos a importância das emendas vulcanizadas em correias transportadoras para o sucesso das operações de nossos parceiros. Como especialistas no setor, dedicamo-nos a oferecer soluções inovadoras e de alta qualidade, alinhadas às necessidades específicas de cada projeto.

Comprometidos com o avanço da indústria, promovemos treinamentos especializados focados na técnica de emendas vulcanizadas, com o intuito de enriquecer o conhecimento e aperfeiçoar as habilidades dos profissionais envolvidos. Nosso objetivo é assegurar que cada emenda realizada proporcione resultados superiores, contribuindo para operações mais seguras e produtivas.

Estamos empenhados em auxiliar no alcance da excelência, para que, juntos, transportemos um futuro melhor para todos.